Artistas famosos que já foram plagiados ou acusados de plágio e que você nem imaginava

Você já ouviu falar de casos de artistas famosos que já foram plagiados ou, então, acusados de plágio? Com certeza, sim.

Não providenciar um documento que ateste a autoria de uma obra artística ou científica pode render muita dor de cabeça no futuro. Um arrependimento que pode durar a vida inteira. É o que aprendemos ao conferir os casos dos artistas famosos que já foram plagiados ou plagiaram.

Contar com a boa vontade das pessoas e com a sorte não é a opção mais segura para garantir os direitos econômicos sobre um trabalho que exigiu horas, dias, meses ou até anos de sua vida, além de seu esforço e talento.

Tanto o artista pode ver o seu trabalho estourando perante o público e crítica com outra pessoa recebendo o crédito, como o artista pode ser acusado de plágio por alguém que viu similaridades com sua obra.

Neste post, além de trazer uma lista com artistas famosos que já foram plagiados ou plagiaram, vamos explicar quais são as vantagens de registrar trabalhos intelectuais, como e onde fazer esse procedimento. Boa leitura!

Artistas famosos que já foram plagiados

Chuck Berry

Para iniciar a lista dos artistas famosos que já foram plagiados, escolhemos um dos maiores ícones do rock.

O cantor estadunidense, um dos pioneiros do rock and roll, famoso por canções como “Route 66”, “Johnny B. Goode” e “Sweet Little Sixteen”, teve problema com esse último título. Berry teve um sobressalto ao ouvir “Surfin’ U.S.A.” dos Beach Boys. Na avaliação do cantor e compositor, a música do grupo plagiava a sua “Sweet Little Sixteen” na parte instrumental.

Felizmente, para Berry, a justiça norte-americana teve o mesmo entendimento e deu ganho de causa para o cantor. Ele, então, teve o direito de receber royalties de sua composição e também de ser creditado como um dos autores da versão dos Beach Boys.

Chuck Berry (sim, de novo)

Parece que o ícone do rock era um azarado. Ou, então, um cara com um talento tão irresistível que influenciava outros artistas a se “inspirarem” demais no seu trabalho. Acreditamos na última.

Acredite se quiser, mas, dessa vez, o acusado de plágio é uma das maiores bandas de todos os tempos: os Bealtles.

Quem fez caso, na verdade, foi a gravadora de Chuck, que acusou os garotos de Liverpool de copiarem “You Can’t Catch Me”. O plágio estaria em um dos grandes sucessos da banda, “Come Together”.

Banda e gravadora chegaram a um acordo, mas que ocorreu fora dos tribunais. John Lennon prometeu gravar três faixas para a gravadora Big Seven.

Jorge Ben Jor

Vai para as costas de Jorge Ben Jor brindar nossa cultura com “Taj Mahal”, que trouxe à luz o refrão icônico “te te teretê”. A música virou mania no Brasil de 1972 e chegou na Terra da Rainha, levando o britânico Rod Stewart a cometer um “plágio inconsciente”, conforme veio declarar em 2012.

Ocorre que a música que lançou poucos anos depois da de Jorge Ben, “Do Ya Think I’m Sexy”, tem um refrão muito parecido com a música do cantor brasileiro.

Isso não passou despercebido pelo artista, que resolveu levar o caso a justiça. Depois de muito tempo, Jorge recebeu um veredito expresso na declaração do britânico, afirmando que não havia sido uma ação consciente.

Stevie Wonder

Continuando a lista de artistas famosos que já foram plagiados ou plagiaram, temos um caso que gerou mistério. E só foi descoberto um ano depois do lançamento de um disco.

Trata-se do disco “What’s the Story?”, da banda Oasis. Quando versões promocionais do disco foram lançadas, havia a faixa “Step Out”. Mas o produto final que foi lançado não incluía essa faixa, o que levantou questionamentos.

Com o lançamento do single “Don’t Look Back in Anger” um ano depois, os fãs notaram o reaparecimento da música no lado B desse single. Para quem não sabe “single” era um disco que continha apenas duas músicas, o lado A, que recebia destaque na capa, e o lado B. As poucas faixas refletiam no preço final do produto, o que ajudava a popularizar uma música e aumentar as vendas.

A música, além de ressurgir na discografia da banda um ano depois, retornou à cena sendo creditada a Henry Cosby, Sylvia Moy e… Stevie Wonder.

Foi com esse fato que o mistério começou a ser resolvido. Wonder ficou sabendo que a versão promocional de “What’s the Story?” continha uma faixa bem familiar aos seus ouvidos. Isso o fez buscar pelos seus direitos. Durante a disputa, o disco do Oasis foi lançado, mas achou-se por bem excluir a “Step Out” de suas faixas.

Como você deve ter percebido, Steve Wonder ganhou a disputa. Obteu o direito de ser creditado e receber 10% de direitos autorais.

The Rolling Stones

A banda capitaneada por Mick Jagger sofreu uma forma curiosa de plágio. Acontece que os autores do plágio nem sabiam que tinha dedo dos Stones ao ouvirem a versão de “The Last Time”, da Andrew Loog Oldham Orchestra. E essa versão estimulou o The Verve a lançar “Bittersweet Symphony”. Mas esta logo foi detectada pela banda histórica como cópia de uma de suas canções.

O caso foi parar na justiça e, como você deve ter sacado pelo tom do texto, Jagger saiu felizão: com direito a 100% dos direitos autorais da versão produzida pelo The Verve. Além disso, Jagger também conquistou o direito, junto com Keith Richards, de ser creditado como autor da música alterada.

Artistas famosos que já foram acusados de cometer plágio

Roberto Carlos

Sim, aquele que, todo final de ano, lança um especial com suas canções, vestido de branco, em um cruzeiro lotado. Ganhou o apelido de “Rei” no auge de sua carreira. Uma tentativa de ilustrar a sua popularidade dentro da música brasileira.

Mas, hoje, com exceção de alguns fãs árduos e da emissora que transmite o especial de fim de ano religiosamente, ninguém o chama desse jeito. É mais conhecido por ser o tiozinho de branco que canta no cruzeiro e que embaça a vida de jornalistas que querem publicar sua biografia.

O ilustre foi acusado pelo compositor Sebastião Salgado, em 1990, de plagiar a música “O Careta”. A disputa foi parar nos tribunais.

A justiça determinou um vencedor da disputa.

E esse cara não foi ele.

Salgado teve direito de ser indenizado em 2,6 milhões de reais. Um valor, digamos, bem salgado.

Dan Brown

Se você não está ligando o nome à pessoa, trata-se do escritor que ganhou fama mundial ao lançar o best seller “O Código da Vinci”. Uma febre que tomou as livrarias e, em pouco tempo, ganhou uma adaptação, para muitos, sofrível no cinema. Embora, bem, uma boa parte das críticas tenha se concentrado no cabelo do Tom Hanks. Mas, sigamos.

O escritor Lewis Perdue entrou com uma ação contra Brown por supostamente ter copiado trechos de obras de sua autoria, como “The Da Vinci Legacy” e “Daughter of God”.

Mas não dá para afirmar em qual caso se enquadra a do escritor norte-americano. Acontece que a acusação ainda está sendo julgada pelas instâncias competentes.

É provável que o caso ainda não tenha chegado a um desfecho por nenhuma das partes terem se dado o trabalho de registrar suas obras de forma a poder comprovar a autoria em situações como essa.

Madonna

A lista dos artistas famosos que já foram plagiados ou que foram acusados de plágio entra de vez no mundo pop. De fato, Madonna, de freira, não tem nada. Foi o que constatou o Tribunal de Urgência em Bruxelas, este, que deu razão à queixa do compositor belga Salvatore Acquaviva. Ele acusou a rainha do pop de plagiar sua canção “Ma Vie Fout L’Camp”.

A música da cantora, “Frozen”, passou a ser proibida na Bélgica quando o caso finalmente chegou a um veredito.

Radiohead

Um dos ícones da banda britânica Radiohead é a música “Creep”.  E esse clássico lançado em 1992 foi alvo de acusação de plágio pela banda The Hollies. Os músicos alegam que o hit do Radiohead copiou a melodia e uma progressão de acordes de “The Air that I Breathe”, música que compuseram em 1973.

Novamente esse conflito de direitos autorais ganhou os tribunais. E a conclusão da corte analisadora foi que a queixa dos Hollies tinha fundamento.

Por isso, até hoje, Creep ostenta uma lista de coautores que vai dos integrantes do Radiohead aos integrantes dos Hollies.

Michael Jackson

O rei do pop foi alvo de acusação de plágio pela mesma pessoa, por duas vezes. E envolvendo a mesma música! E não se trata de caso de processo demorado que teve direito a várias instâncias. Jackson e família cometerem o mesmo erro duas vezes ao não se lembrarem do trabalho de Manu Dibango.

Dibango é um saxofonista camaronês que teve a primeira peleja com Jackson nos tribunais na década de 1980 em razão de “Wanna Be Startin’ Somethin’”. O camaronês apontou que a música era plágio de “Soul Makossa”, de sua autoria.

Os julgadores do caso deram razão a Dibango, que teve direito de receber 200 mil por diretos autorais.

Muitos anos depois, em 2009, o músico teve que voltar a reclamar de seus direitos pela mesma música. E novamente com o rei do pop envolvido. Ocorre que “Wanna Be Startin’ Somethin’” foi cedida à cantora pop Rihanna para que fizesse uma versão, mas essa cessão ocorreu sem a autorização de Dibango.

O que esses casos de artistas famosos que já foram plagiados ou plagiaram nos ensinam?

A grande lição ao se avaliar esses casos de artistas famosos que já foram plagiados ou plagiaram é que um erro, uma imprudência, um risco, tornar público um trabalho intelectual, seja artístico ou não, sem assegurar meios de provar sua autoria. Muitos dos casos que ainda estão em julgamento por motivo de plágio poderiam ser resolvidos se uma das partes tivesse registrado sua obra.

No Brasil, esse registro ocorre na Biblioteca Nacional. Esse órgão solicita o envio da obra rubricada em cada página, o preenchimento de um formulário, o pagamento do boleto e envio de documentação.

Não é uma ação muito onerosa, mas, como deve ter notado, burocrática. Pode levar meses para receber o documento que atesta para todos os efeitos que a obra enviada é de autoria do solicitante pelo reconhecimento.

O certificado enviado pela Biblioteca acaba sendo determinante em uma eventual disputa sobre reconhecimento de direitos autorais.

No entanto, a prática do registro de autoria na Biblioteca Nacional, embora altamente recomendada, não é obrigatória.

Isso explica por que nos deparamos ainda com casos de plágio se arrastando por anos a fio. Nem todo autor consegue, se lembra ou sabe da importância de se guardar material antigo. Acresce que os recursos digitais tornam bem mais simples e natural descartar ou substituir material velho.

Mas quem opta pelo registro tem o benefício de ter um documento, válido pela vida toda, que acaba com qualquer problema judicial envolvendo seu trabalho. Não é obrigatório, mas é recomendável. Ainda mais em tempos de cópias rápidas em poucos cliques, abundância de informação e notícias falsas na rede.

A Biblioteca Nacional é o único caminho?

Como apontado, a Biblioteca Nacional é um dos órgãos com autoridade para emitir um certificado de autoria. Mas, como dito, apesar de não ser oneroso, exige o cumprimento de ritos burocráticos que demandam tempo. Tempo que nem todo mundo tem.

Existe uma opção bem mais prática, permitindo que todo o processo seja feito online. É o Autoria Fácil, site que registra obras intelectuais, emite certificados em PDF, assinados eletronicamente e com carimbo de tempo emitido por autoridade credenciada pelo Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (ITI).

Somos especialistas no registro de direitos autorais. Assim, toda a parte burocrática fica por nossa conta, enquanto você se preocupa apenas em produzir novas obras!

Não corra o risco de passar por dificuldades de reconhecimento de autoria do trabalho que exigiu tanto do seu esforço. Se até os artistas consagrados tiveram que lidar com esse problema, você também pode passar. E, naturalmente, evitar problemas é o que mais queremos, não é mesmo?

Se esse conteúdo sobre artistas famosos que já foram plagiados ou plagiaram ajudou você, não deixe de compartilhar em suas redes sociais. Dessa forma, mais pessoas podem conhecer esses casos e buscar proteção. Conte conosco!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *