Como fazer partitura para registrar minha música?

Aprender como fazer partitura é um dos passos vitais para você criar e proteger suas obras. Afinal, até mesmo registrar músicas é um tanto quanto estressante e complicado. Ainda mais se você não sabe por onde começar e como funciona o processo.

Assim, apesar das vantagens e muitas dificuldades, neste artigo você poderá ficar por dentro do assunto. Ainda ajudaremos você a acertar nos passos e garantir mais conhecimento sobre como fazer partitura.

Aprendendo a ler partituras

Primeiro passo, para quem não tem conhecimento, é saber que uma partitura é a simbologia gráfica mundial que representa uma linguagem musical com padrões. Ou seja, é a forma de escrita relacionada à composição mais completa, auxiliando você até a registrar uma música.

Para isso ela apresenta símbolos próprios, como:

  • Claves;
  • Pauta;
  • Notas;
  • Barras;
  • Pontos.

Entendendo o que é pauta em como fazer partitura

Primeiro, visualize e procure entender a definição de pauta, também chamada de pentagrama. Para isso, saiba que ela é o conjunto com cinco linhas horizontais, que resultam quatro espaços.

Espaços e linhas são numerados de baixo para cima, além de serem os locais onde você vai escrever as notas musicais. Vale ainda lembrar que as dicas de como fazer partitura vão ajudar você a proteger e registrar sua obra e autoria.

Conhecendo a famosa clave de Sol

Agora é hora de você conhecer e estudar a clave de Sol. Então, saiba que essa clave deve ser escrita na segunda linha, pois o nome da nota aqui chama-se Sol. Assim, ela costuma ser empregada para vozes agudas e instrumentos como:

  • Guitarra;
  • Sopranos;
  • Violão;
  • Piano;
  • Contraltos;
  • Violino.

Conhecendo a clave de Fá

Embora você não precise usar essa clave para ler as notas dos instrumentos descritos acima, ela será útil para você, já que instrumentos como piano e teclados orientam a mão esquerda mediante essa clave.

Assim, saiba que ela é anotada na quarta linha de uma pauta, por isso que a quarta nota chama-se Fá. Enfim, para saber como fazer partitura, essa clave é empregada para definir instrumentos mais graves, assim como a mão esquerda do piano.

As figuras de notas e suas partes

As chamadas figuras de notas apresentam diferença em relação às notas musicais. Portanto, saiba que essas notas musicais são o padrão para você ler partituras: Dó, Ré, Mi, Fá, Sol, Lá e Si.

Dessa forma, as figuras vão indicar a duração de cada nota. Ou seja, imagine que você vá tocar uma sequência como Sol, Dó e Ré. Assim, você pode anotar o tempo de cada uma dessas notas.

Enfim, é para isso que figuras de notas servem. Ou seja, elas indicam a duração das notas relativamente a seu tempo. Contudo, cada figura tem um valor e uma forma diferente, sendo que cada uma pode ter três partes, como haste, colchete e cabeça.

Decorando as figuras de pausas

Na hora de aprender como fazer partitura, uma figura de nota indica quanto tempo vai durar a pausa. Ou seja, o tempo onde você não irá tocar nota alguma. Assim, os valores e nomes das figuras dessas pausas serão os mesmos relativos às figuras das notas, embora apenas os desenhos não permanecem iguais.

Entendendo a função de tempo

Em uma música, o tempo determina a pulsação ou batida de uma música. Ou seja, ao ouvir uma canção você pode perceber facilmente seu tempo. Em outras palavras, é aquela hora em que você começa a balançar a cabeça ou bater o pé para acompanhar o ritmo.

Numa partitura, o tempo é representado por frações, como dois quartos ou quatro quartos. No mais, para saber como fazer partituras, você vai saber o tempo da música ao checar o numerador. Assim, numa fração quatro quartos, o numerador é quatro, indicando os quatro tempos da melodia.

Enfim, para marcar cada tempo com precisão, recomendamos usar um metrônomo.

O compasso

Para fechar esta fase do aprendizado, saiba que compasso consiste nas partes em que uma música é dividida. Para isso, você precisa separar as partes por travessões ou barras. Enfim, fique atento às frações, pois elas denotam muito mais que a regra dos oito compassos de uma canção.

Aprendendo como fazer partitura

Como você já pode conferir, aprender como fazer partituras é uma técnica essencial para transcrever a beleza das complexidades em se criar e acompanhar músicas, sejam as que estão na sua cabeça ou aquelas que você quer aprender a tocar num determinado instrumento.

De qualquer forma, a tecnologia de hoje também permite que você crie partituras em poucos cliques. Entretanto, se você quer aprender do jeito tradicional e clássico, a regra é começar no básico. Confira abaixo um roteiro simples com informações para você aprender a como fazer partitura.

Imprima ou baixe um bloco de notas

Por definição, uma partitura é composta por símbolos descritos e alinhados num papel de notação. Assim, ela apresenta as linhas de apoio vazias. Você vai ter que inserir descansos, notas, marcadores e até mesmo demais notas para orientar o músico durante a execução de um instrumento.

Entretanto, caso você deseje escrever à mão livre, como Beethoven e Mozart, pode fugir de linhas num papel em branco e réguas. Assim, basta você achar um papel para notas na internet e imprimi-lo. Assim você vai dar início ao aprendizado real de escrever suas composições e como fazer partitura própria.

Enfim, a partir de inúmeros sites, você pode até definir cada ferramenta, além de inserir claves de forma automática. Assim, é possível fazer a configuração das linhas como preferir.

De qualquer forma, imprima vários papéis, visando a prática regular com o uso de canetas e lápis. Entretanto, tudo pode ficar bagunçado pela complexidade de certas composições. Assim, ainda é fácil fazer mudanças e apagar tudo para recomeçar.

Baixe da internet um software para compor músicas

Para facilitar as coisas, você pode aprender como fazer partitura compondo direto em dispositivos como o computador. É possível usar programas e aplicativos simples para fazer mudanças, revisões e inserir notas. Além de salvar e ter acesso fácil e rápido, esse modo é muito comum, pois economiza esforço e tempo.

Confira algumas dicas a seguir.

GarageBand

A escolha desse software é essencial para quem tem computador e precisa criar partituras com facilidade. Assim, você pode até gravar áudios ao vivo e conectar instrumentos para a transcrição de notas musicais. Para isso, basta clicar num ícone para anotá-las.

Tudo começa com um simples download. Então, você já pode salvar arquivos e anotações. Por outro lado, conecte um teclado via cabo USB e toque melodias e canções diretamente no programa. Além do mais, você pode distribuir sua composição por instrumentos e definir toda a obra.

MusicScore

Um programa muito comum nessa área, ele também é compatível com as composições baseadas no estilo livre, entradas de MIDI e fácil de usar. É possível gravar notas direto na folha de notas e até juntar cada música nota a nota.

Fazendo a clave nas anotações

Outra dica valiosa ao aprender como fazer partitura é saber que cada página é montada por descansos e notas. Seja nos espaços entre elas ou nas linhas paralelas, criando a série de notação.

Por isso que cada espaço e linha é contado de baixo para cima, onde as notas altas ficam na parte de cima. Assim, cada notação pode ser clave de agudo ou baixo, ficando anotado à esquerda, sempre no começo de cada linha.

No caso de claves agudas, ou a chamada clave de Sol, você pode notar o sinal de “E“ comercial, o famoso “&” anotado ao lado esquerdo das linhas, embora essa clave seja mais relativa à partitura.

Instrumentos com marcas mais altas são impressos na clave aguda, como trompetes, guitarras e saxofones. Assim sendo, as notas começam na ordem de Mi, Sol, Si, Ré e Fá. Por outro lado, já na clave abaixo, você pode notar um sinal igual ao número cardinal sete (7) no canto esquerdo das linhas.

Dessa forma, essa clave é usada para marcar os instrumentos que têm as notas graves, como baixo, trombone, tuba e guitarra. Assim, de começo na primeira linha, as notas vão na ordem de Sol, Si, Ré, Fá e Lá.

Escreva o sinal de tempo

No caso do sinal de tempo, ele destaca o número de batidas e notas na folha de notação. Ou seja, nessa folha, as medidas são separadas pelas linhas verticais e periódicas, separando linhas de notação em grupos de notas. Dessa forma, do lado direito das claves, ficam dois números como uma fração.

O número acima é o número de batidas em cada parte da nota, ao passo em que o número abaixo marca o valor de cada batida. Como exemplo, nas músicas folk, esse sinal do tempo comum é a marca de tempo como quatro quartos.

Dessa forma, você pode ver que isso significa que são quatro batidas a cada medida, como um quarto da nota significa uma outra batida. Sendo assim, uma nota de tempo seis oitavos significa que são seis batidas a cada medida. Por outro lado, a oitava nota mantém a batida.

Como registrar uma partitura?

De nada adianta ter todo esse trabalho para criar uma partitura se você não registrar sua obra musical. Alguns detalhes precisam ser levados em consideração sobre o assunto.

A primeira coisa que você precisa saber é que o registro de uma partitura é o documento que comprova a sua propriedade intelectual sobre a obra. Dessa forma, é esse registro que garante seu direito de comercializar e utilizar a música da forma que desejar.

Suponhamos que você crie sua partitura, seguindo todas as dicas que demos ao longo desse artigo, mas não a registre. Caso essa música caia nas mãos de alguém mal-intencionado – e caso essa pessoa resolva proceder com o registro antes de você –, você terá dores de cabeça. Será muito complicado provar que a autoria da partitura é sua e, com isso, você poderá perder sua obra.

As músicas, no Brasil, são registradas no EDA (Escritório de Direitos Autorais) da Biblioteca Nacional.

Tanto letras quanto partituras podem ser registradas de forma individual ou como coletânea. Cada pedido de registro é acompanhado de uma taxa. Em outras palavras, para cada música que se deseja registrar, há a necessidade do pagamento de uma taxa.

O EDA não confecciona partituras. Sendo assim, caso você deseje registrar a sua música, você mesmo deverá criar a partitura da mesma.

É obrigatório fazer o registro?

Não, o registro de partituras não é obrigatório. No entanto, o Ministério da Cultura e demais órgãos competentes recomendam que os compositores façam o registro de suas obras. Dessa forma, podem garantir a proteção da Lei Autoral no caso de enfrentarem problemas na justiça.

O número de novos compositores que mostram o seu trabalho na internet é crescente. Enquanto a tecnologia auxilia na divulgação, também facilita a apropriação de uma música por terceiros. Se a obra não estiver devidamente registrada, como dissemos, o real compositor pode ter problemas.

É interessante mencionar que, uma vez que você aprende como fazer partitura, você pode registrá-la mesmo sendo menor de 18 anos. Nesse caso, você deverá ser assistido por um representante legal.

O processo de registro é complicado?

Felizmente, não!

Além da Biblioteca Nacional, que fica em São Paulo, há outro local onde é possível registrar suas partituras. Estamos falando da Escola de Música da Belas Artes do Rio de Janeiro.

No entanto, ambos os processos podem ser ainda mais simplificados, especialmente se você não mora em São Paulo ou no Rio de Janeiro, através de empresas especializadas em registros de obras diversas, como a Autoria Fácil.

A Autoria Fácil é a solução mais rápida, prática e segura para você registrar e, assim, proteger todas as suas obras artísticas, desde uma partitura até um livro, poesia, curso ou letra de música, por exemplo.

Nós vamos ajudá-lo e assessorá-lo durante todo o processo de registro.

Ao registrar sua obra com a Autoria Fácil, você obterá seu certificado em PDF. O mesmo será assinado eletronicamente, o que assegura a inviolabilidade do conteúdo.

Além disso, seu certificado conterá um timestamp emitido por uma autoridade credenciada pelo Instituto Nacional de Tecnologia e Informação, o ITI. Dessa forma, você terá um certificado reconhecido e válido em 176 países. E tudo isso por um preço que cabe no seu bolso!

Agora que você aprendeu como fazer partitura e sua importância, entre em contato com a Autoria Fácil e proteja sua obra!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *